Metade contrária (split w/ Le Dégoût)

by Atrás do Pensamento

/
1.
(free) 03:30
2.
(free) 02:18
3.
(free) 03:02
4.
(free) 03:19
5.
(free) 04:01
6.

about

Gravado e mixado em estúdio caseiro por Leo Aquino.
www.soundcloud.com/leo-c-aquino
Florianópolis, 2012.
Atrás do Pensamento e Estorvo Records.
estorvorecords.tumblr.com.

credits

released December 21, 2012

songs by Leo Aquino & Gus Venturelli.

tags

license

all rights reserved

about

Atrás do Pensamento Florianopolis, Brazil

Songs and recordings by Leo Aquino.

contact / help

Contact Atrás do Pensamento

Streaming and
Download help

Track Name: Broke up
Long day to do the same.
Long day to think about it and searching books, again.
I read about a guy who lives drinking wine at home.
Two glasses and she smiles for me.
Her teeth purple of grapes, her words sound like shame.
She never told her mom that he doesn’t care for the same things.
They don’t have the same values.
He doesn’t care…
Track Name: DC's dreams
Killer, you gotta choose.
You can’t go wrong. Give an order, now!
Cause that means you have it all or you had it and now,
You got completely lost!
There’s no way out. Defeat. Death.
There’s a fact: you are dead.
You can’t revoke, you can’t go back.
Track Name: The creator
The Creator

Sôfrego se vai
tropeço
e tanto faz

não há mais como parar

tentar gritar e engasgar a própria voz
a dor de pôr pra fora
tudo o que me faz
só tem sentido
quando a dor de esconder
é bem maior
é sufocante
dá um nó
faz sentir um pouco só
desencaminha
talvez depois será prazer

a criação da dor
ou a dor da criação
criatura, seja eternamente minha
obscuridão
Track Name: Sem tormenta
Sem tormenta

neste abismo eterno
o caminho entrego
ao meu cego guia
o gosto do descaso
será o meu ocaso
sempre um outro dia

sem tormenta não há calmaria

esperar calado
pelo mar do acaso
onde paz e caos habitam
abanar os ombros
esconder escombros
de um naufrágio audacioso
e suicida

sem tormenta não há calmaria
Track Name: Viajando o oco do espaço
Viajando o oco do espaço

deslizo
oculto aqui viajando
o oco do espaço ermo
parado, nada acontece, nada parece acontecer
todo passado está morto
só vige o que surge
só vige o que vem
todas as coisas
se dilaceram
ou estão por se dilacerar

(transcriação do poema de Waly Salomão)